Shoppings do litoral de SP se organizam para possível retomada de atividades

Ainda não há data definida para que os estabelecimentos voltem a receber o público.

Mas, como cidades avaliam retomada econômica, lojistas se organizam caso shoppings sejam reabertos.

Assessoria afirmou que shopping Praiamar ainda não tem data definida para reabrir Divulgação Dois shoppings na Baixada Santista, no litoral de São Paulo, enviaram comunicados aos lojistas para que eles se preparem para uma possível reabertura dos estabelecimentos.

O Praiamar, localizado em Santos, e o Brisamar, em São Vicente, afirmaram por meio de sua assessoria que ainda não há uma data definida para a retomada econômica do setor, mas que já se organizam para isso.

As cidades estão avaliando a volta gradual do funcionamento dos comércios, caso haja até 60% da ocupação dos leitos de UTI.

Em nota, o Brisamar informou que abrirá dia 27 de maio apenas aos lojistas, no intuito de preparar suas estruturas e atendimento para possível retomada de atividades.

O shopping afirma que não atenderá ao público, tampouco reabrirá sem publicação de decreto municipal.

"Agradecemos e esperamos a breve retomada com os devidos cuidados.

Por enquanto, cuidem-se e permaneçam em seus lares", publicou em nota de esclarecimento.

Já no comunicado enviado aos lojistas do shopping Praiamar, foi afirmado que há grande possibilidade de início, ainda que parcial, a partir do dia 1º de junho.

No ofício também foi solicitado que todos se organizem nos próximos dias para limpeza e ajustes necessários para reabertura.

"Além do uso de máscara e do fornecimento de álcool em gel em cada loja, haverá outras normas e assim que possível enviaremos uma cartilha que os oriente a respeito", disse a circular.

Os documentos sobre a reabertura dos estabelecimentos circularam nas redes sociais e preocuparam parte da população.

Porém, a assessoria de comunicação dos centros comerciais informou que trata-se apenas de um comunicado interno para reorganização para uma possível data de abertura, ainda não definida. O porta-voz dos estabelecimentos explicou que alguns comércios retiraram equipamentos para fazer o serviço via delivery e, por isso, precisam se reorganizar caso saía um decreto, estando prontos para retomar as atividades.

Segundo a comunicação dos shoppings, se os espaços abrirem e as lojas estiverem fechadas, podem ser multadas pelas respectivas direções.

Então, o comunicado seria apenas para evitar esse tipo de situação.

Shopping Brisamar também se prepara para possível reabertura, mas assessoria diz não ter data definida para retomada das atividades Divulgação Prefeitura de Santos Em nota, a Prefeitura de Santos destaca que conforme já anunciado e apresentados a representantes de atividades comerciais na cidade - entre as quais, shoppings -, a reabertura dos diferentes setores do comércio será determinada a partir de critérios técnicos como curva decrescente de casos de Covid-19 e ocupação máxima de 60% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do município.

Esta e outras informações de conhecimento dos setor constam no Plano de Retomada Econômica, que está disponível para consulta pública e sugestões da população no portal da Prefeitura.

O planejamento divide as atividades em quatro grupos, classificados por bandeiras coloridas de acordo com a natureza dos serviços e os riscos de contágio pelo coronavírus, considerando o nível de aglomeração de pessoas.

A bandeira branca é para serviços essenciais, a verde para pequena aglomeração, a amarela para média aglomeração e a vermelha para alta aglomeração. O levantamento apontou que 63% das atividades desenvolvidas por pessoas físicas são classificadas como bandeira branca e 37%, verde.

São exemplos: arquitetos, psicólogos, cuidadores, pintores, borracheiros, porteiros, vigilantes, babás, chaveiros e pedreiros, entre outros.

Quanto às atividades de pessoas jurídicas, 60% se classificam como bandeira branca, 32% verde, 1% amarela e 7% vermelha. O processo de abertura acontecerá de maneira gradativa.

A primeira fase acontecerá na ocasião da abertura e, para cada bandeira, há um direcionamento de funcionamento.

Em todos os casos, será exigido protocolo do Estado, regras do Município e protocolo do setor. Se a cidade de Santos tiver baixo número de novos casos de coronavírus, baixa ocupação de leitos de UTI, testes disponíveis para sintomáticos e suspeitos e protocolos setoriais implementados, os comércios poderão mudar de fase. Se o número de novos casos estiver estável ou ocupação adequada de leitos de UTI, não será permitida a mudança.

Caso o número de novos casos esteja elevado ou a ocupação de leitos de UTI estiver alta, será necessário retroceder para a primeira fase. Prefeitura de São Vicente A Prefeitura de São Vicente informa que vem realizando estudos no sentido de conciliar a abertura de parte do segmento comercial com a necessidade devida de evitar a contaminação pelo coronavírus. Possível flexibilização, quando chegado o momento, será feita de forma gradual e segura, com base em critérios técnicos, voltados à preservação da saúde de todos e em consonância com as determinações vigentes em demais esferas. No momento, não há data definida para a reabertura de estabelecimentos que estão fechados.

Categoria:SP - Santos e Região