MP pede que servidores contratados para hospital de campanha de Nova Friburgo, RJ, sejam remanejados para o Raul Sertã

Objetivo é ampliar a capacidade de atendimento no HMRS.

O Governo do Estado tem dez dias para responder aos questionamentos do Ministério Público.

Um ofício, enviado pelo Ministério Público Estadual (MPRJ) nesta segunda-feira (6), à Secretaria Estadual de Saúde, quer saber se profissionais já contratados para o hospital de campanha em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, podem ser remanejados para o Hospital Raul Sertã, que é a referência no atendimento de urgência na cidade e que tem sido a principal unidade de saúde no tratamento da Covid-19 no município. A autora do pedido, a promotora de justiça Claudia Canto Condack, se baseou em informações da administração municipal, que afirma que uma das dificuldades na ampliação da capacidade de atendimento no HMRS é a contratação de novas equipes de profissionais de saúde para novos leitos. A promotora também ressalta no ofício que esses profissionais contratados para trabalharem no hospital de campanha estão sendo remunerados, mesmo que ainda não haja data para inauguração da unidade. Ainda no ofício, a promotora também quer saber se é viável que o Estado ajude na contratação de leitos junto à rede privada de saúde, para que usuários do SUS sejam atendidos em Nova Friburgo.

O objetivo do pedido é diminuir o tempo de espera para atendimento adequado dos casos de contágio do novo coronavírus, enquanto o hospital de campanha não é inaugurado. O Governo do Estado tem dez dias para responder aos questionamentos do Ministério Público. Hospital de campanha Na semana passada, o Secretário de Estado de Saúde, Alex Bousquet, disse que as unidades montadas em Nova Friburgo, Nova Iguaçu e Duque de Caxias, que já deveriam ter sido inauguradas, agora servirão de retaguarda para uma possível segunda onda de Covid-19.

No mesmo dia, o secretário descartou a inauguração dos hospitais de campanha de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, e Casimiro de Abreu, na Região dos Lagos. Covid-19 em Nova Friburgo De acordo com o último boletim epidemiológico municipal, divulgado no início da noite desta terça-feira (7), Nova Friburgo tem 648 casos confirmados do novo coronavírus, com 40 óbitos causados pela doença. A taxa de ocupação dos leitos destinados ao tratamento de pacientes graves da Covid-19 está em 48,4% e a taxa de leitos de enfermaria está em 28% na cidade.

Atualmente Nova Friburgo tem 31 leitos de UTI, somando a rede pública e privada, para tratamento da Covid-19, e 75 leitos de enfermaria, também somando as duas redes.

Em junho, a Prefeitura publicou um decreto que determina a disponibilização dos leitos dos hospitais privados ao município, caso seja necessário.

O decreto vale até que o estado de calamidade pública do município termine.

A cidade tem três hospitais particulares. O G1 entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro e aguarda um posicionamento.

Categoria:RJ - Região Serrana