Infestação do mosquito Aedes aegypti aumenta em Porto Alegre, diz prefeitura

Infestação passou do status moderado para de alerta.

Em 2020, município teve a confirmação de um caso importado de dengue, de acordo com o boletim emitido pela Secretaria de Saúde, com dados até 25 de janeiro.

Mosquito Aedes aegypti é transmissor de doenças, como a dengue Raul Santana/Fundação Oswaldo Cruz/Divulgação A infestação do mosquito Aedes aegypti em Porto Alegre aumentou entre final de dezembro e início de fevereiro.

De acordo com dados do Monitoramento Integrado do Aedes, realizado semanalmente pela prefeitura, o índice mais atual foi de 0,33.

Isso indica que a infestação passou do status moderado para de alerta.

Segundo o município, o status alerta indica um possível aumento do risco de transmissão viral na cidade.

Em 2020, Porto Alegre teve a confirmação de um caso importado de dengue, de acordo com o boletim emitido pela Secretaria de Saúde, com dados até 25 de janeiro.

Classificação de infestação O período de férias e as temperaturas altas podem contribuir no aumento na infestação.

De acordo com o último levantamento, foram encontradas 443 fêmeas do mosquito em 290 armadilhas, indicando um índice de positividade de armadilhas de 21,3%.

Os bairros que apresentaram maior índice de infestação foram Jardim São Pedro, Restinga, Boa Vista e Farroupilha.

Nesses bairros foram coletadas 105 fêmeas do mosquito.

Em janeiro, a prefeitura publicou um edital no Diário Oficial de Porto Alegre notificando todos os proprietários e responsáveis por imóveis residenciais, comerciais, industriais e de terrenos baldios para que mantenham os imóveis e terrenos livres de recipientes ou entulhos que possam acumular água, condição propícia para o desenvolvimento de criadouros do mosquito.

Categoria:Rio Grande do Sul